Total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Buscando as origens

Para alguns a origem do sobrenome Galvão seria uma corruptela da palavra gavião; para outros seria a corruptela da palavra carvão. E, partindo dessas premissas, os Galvão seriam descendentes de judeus que se converteram ao catolicismo em épocas muito remotas, sendo, então, cristãos-novos. Tal suposição é feita devido ao fato de que, como sabemos, os convertidos de origem judaica tinham como hábito (ainda que esse não fosse uma regra geral) adotarem como sobrenomes os nomes de animais ou plantas, ou seja, Pereira, Macieira, Coelho, Tourinho, etc., os Galvão poderiam muito bem serem carvão ou gavião, enquadrando-se perfeitamente na afirmativa já feita acima. Outra suposição bem plausível é que sendo Portugal um país muito pequeno e, na época da colonização, possuía reduzida população (uns 3 milhões de habitantes, quantidade ínfima para o tamanho da aventura que foram as Grandes Navegações), não seria normal que houvesse duas famílias com os mesmos sobrenomes. O mais certo, pois, é que os Galvão – de lá, daqui e da África – sejam originários de um só tronco. Por isso é refinada bobagem se dizer, como se diz aqui no Brasil, eu sou dos Galvão de Amargosa, de Itabuna, ou de Valença. Ou mesmo de São Paulo, do Paraná. A família Galvão, embora grande, é uma só e, no Brasil, teve uma origem única, quero dizer que veio de um único português ou de uma única família portuguesa.
Por outro lado, é preciso não esquecer o problema dos degredados, aqueles condenados, quase sempre de muito baixa origem social, que não possuíam linhagem, como se dizia na época, ou seja, não tinha sobrenome, eram tão-somente Fulano filho de Beltrano. E esta forma de sobrenome, o patronímico, muito usado em muitos países, o foi também em Portugal, embora já esteja em desuso, está na origem histórica de muitos nomes.
Se os Galvão são ou não de origem judaica, não pude confirmar, o que sei de fonte segura é que, sendo uma só família em Portugal, alguns imigraram para o Brasil e outros para a África, havia em Angola um ramo da família Galvão que, com a independência daquele país, veio para o Brasil e um deles é o dono de um parque em São Paulo, chamado “Zimba Safari”. Este cidadão professa a religião judaica e, declarou-me que os Galvão eram todos judeus, os que vieram para o Brasil Colônia continuaram na religião católica, já os que foram para Angola voltara a professar a sua religião de origem.
Bem, voltando ao problema dos degredados, muitos deles ao chegarem e serem libertados na Colônia, sob observação, ficavam agregados às famílias abastadas que aqui já residiam e, muitas vezes, adotavam o sobrenome dessas famílias. Com isso estou querendo dizer que embora a família Galvão seja, aqui e algures, uma só, significando que todos os Galvão são parentes, tal fato não significa que todos Galvão são verdadeiramente Galvão, ou seja, possuam o mesmo sangue, porque muitos tomaram emprestado este sobrenome em épocas muito remotas, sendo muito difícil, hoje, saber quem é quem.
Na década de 70, talvez no seu final, foi publicado em um jornal de Feira de Santana, um estudo feito pelo padre Galvão, sob o título: “200 Anos de Galvão”, onde o religioso tecia algumas considerações sobre a vinda do primeiro Galvão para o Brasil, de cuja família descende todos os outros Galvão de hoje. Infelizmente não tive acesso à matéria do referido padre, soube dela por terceiros e, até hoje, não consegui localizá-la. Tio de Ramiro...
O que posso afirmar com segurança é que esta é uma “família muito antiga que teve como solar e quinta em Guimarães, na costa verde portuguesa, norte de Portugal. O primeiro deste sobrenome foi Pedro Galvão, porém bem mais tarde um dos seus descendentes veio a ser o mais ilustre e nobre da família, João de Lourdes Galvão, cavaleiro do rei, servindo a dois reis, Dom Afonso IV e Dom Pedro I [Pedro I de Portugal, é claro]. Por sua lealdade e fidalguia à coroa portuguesa e destaque junto ao Conselho Real teve o seu brasão de armas concedido em 1367, com direito a sucessão de herdeiros.” Isso pode ser lido nas informações que acompanham a reprodução do brasão fornecido por uma empresa de Belo Horizonte(1), de onde retirei essas informações nobiliárias.
Cabe salientar ainda que na Enciclopédia(2) que consultei, além de um município em Santa Catarina, com o nome de Galvão, encontram-se também várias personalidades com este sobrenome. São eles: Antônio Galvão, militar, político e historiador português nascido nas Índias, em 1490; Trajano Galvão de Carvalho, poeta brasileiro, nascido no Maranhão, em 1830; Duarte Galvão, cronista português, nascido em Évora, em 1445; Eduardo Enéias Gustavo Galvão, etnólogo brasileiro, nascido no Rio de Janeiro, em 1921; Galvão Enéias, magistrado brasileiro, nascido no Rio Grande do Sul, em 1863; Enéias de Arrochelas Galvão, magistrado militar brasileiro, nascido na Paraíba, em 1926; Henrique Carlos de Mata Galvão, político português, nascido em Barreiros, em 1895; Jesus Belo Galvão, filólogo brasileiro, nascido no Maranhão, em 1917; Manuel Antônio Galvão, magistrado e político brasileiro, nascido na Bahia, em 1791; Oscar Lemagnère Galvão, escritor português, nascido no Brasil, em 1862; Patrícia Rehder Galvão – conhecida como Pagu – escritora brasileira modernista de 22, nascida em São Paulo, em 1907; Rodolfo Clímaco Galvão, médico brasileiro, nascido na Paraíba, em 1860.
Como se pode ver, os Galvão aqui citados, cujos nomes foram retirados da citada enciclopédia, são aqueles que receberam este sobrenome do pai, já que – por motivos óbvios – os Galvão de descendência materna, como é o caso do Marechal Inocêncio Galvão de Queiroz, ilustre militar e político brasileiro nascido na Bahia, em 1841, por exemplo, tem o seu verbete citado na letra Q. Esse ilustre militar brasileiro, nascido em Valença, Inocêncio Galvão de Queiroz, possua um belo e expressivo monumento no Rio Grande do Sul. Na situação desta personalidade deve haver vários outros, os quais não nos foi possível pesquisar.
Cabe ainda, uma última observação. Ainda não me informei qual era o critério usado pelos judeus convertido (forçados ou não a tomar tal atitude) para escolherem um sobrenome que fosse considerado cristão. Sabemos sim que os degredados que aqui foram deixados, via de regra, adotavam, como já foi dito, o nome das famílias as quais ficaram agregados. Já os escravos, além de adotarem também o nome familiar dos senhores (muitas vezes eram filhos bastados destes) como regra geral a escolha ficava a critério do vigário que os batizava – quase sempre dando-lhes como sobrenome “Santos ou dos Santos”. Sabemos, como já foi dito, que era comum entre os judeus o uso do nome de animais e vegetais, mas não sabemos – eu pelo menos não o sei – se eles chegaram a usar também do mesmo expediente dos degredados. Neste caso, aparecer um Galvão como sendo judeu não significa também que este nome seja de origem hebraica.
Valença. Ba. 3 de Julho de 1998

(1) “Brasões Sociedade Comercial (Caixa Postal 3345 - CEP.: 30.112-970 - Tel.: (031) 223-5147 – Fax: (031) 225-6441 – Loja: R. Antônio Albuquerque, 222 CEP.: 30.112-010 – Internet: www.gold.com.br/~brasoes – E-mail:brasoes@gold.com.br”.
(2) Larousse Cultural, Nova Cultural São Paulo, S. P., 1999, tomo 24, págs. 2833/4.

Araken Vaz Galvão  Valença, Bahia, Brazil
Quando do golpe militar de 1964 eu era sargento do Exército e, junto a meu amigo e colega Manoel Raimundo Soares, desertei para resistir aos golpistas. Aliei-me a Leonel Brizola e fui preso em ação em Porto Alegre.
Anos depois fui novamente preso quando participava da guerrilha na Serra do Caparaó - ES. Fugi em 1976, exilando-me no Uruguai, Peru e Equador, com passagem pela Argentina, Paraguai e Bolívia. No Uruguai estudei literatura, história, belas artes, cinema e trabalhei como jornalista. No Peru estreei minha peça “Apenas una Mujer” e o monólogo dramático-musical “A Fossa”.
Realizei cinco filmes, quatro curtas e um longa – "Yawar Mayu” (Rio de Sangue). No Equador, trabalhei na televisão. Do périplo pela América hispânica trouxe influências para a elaboração de meu primeiro romance, “Crônicas de uma Família Sertaneja”, editado pela Secretaria de Cultura da Bahia. Tenho publicado também o livro “Valença – História de uma cidade”. Meu conto “O Jegue” foi premiado no concurso “Talentos da Maioridade”, do Banco Real, em 2004. Este ano, outro conto meu, Os Mortos, foi agraciado com o prêmio principal deste mesmo concurso.

FONTE: Blog do autor: Araken Vaz Galvão
Sertanejo, baiano, brasileiro, americano (no melhor sentido).
Revolucionário, hoje pelo exercício radical da cultura, por escrito e assinada. A cultura floresce a partir de sua raiz, caso contrário é artificial, morta.
http://arakenvaz.blogspot.com/2006/03/sobre-famlia-galvo_09.html

Copiado em: http://www.limacoelho.jor.br/falatigre/ler.php?id=698

77 comentários:

  1. Eu tenho o sobrenome Galvão,os meus tataravós viéram da Ilha da Madeira para o interior de São Paulo plantar café...Eles foram cafeicultores no século dezenove.Eles tinham costumes de casar somente com primos.Mas o meu tataravó fugiu.Não quis se casar com a pretendente escolhida pelos pais. E assim se casou,com uma moça que não era da família...Por este motivo ele foi deserdado.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu bisavô e bisavó eram de Ilha da Madeira também. Eles tinha o sobrenome Galvão. Talvez sejamos parentes distantes.

      Excluir
    2. Eu também! Mas no caso foram meus avós, e eles vieram pro Rio de Janeiro, já no comércio. O galvão de vocês vem da Ribeira Brava na Ilha da Madeira?

      Excluir
  2. Essa história tem elementos comuns às histórias dos Galvão pelo Brasil. No litoral sul do Rio Grande do Norte isso era comum entre os parentes que ocupavam a ribeira do Curimataú.

    ResponderExcluir
  3. Podiamos fazer uma pesquisa entre todos os Galvão no Brasil.Eu sou Galvão de Itaguai-RJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho uma boa viu... é muito interessante já que não existe muitos.

      Excluir
  4. Sou Galvão no Amazonas e minha mãe e pai são primos, mas não ppr parte dos Galvão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou da família Galvão meu pai é de Pernambuco águas belas ele é filho de Manoel correia Galvão,porem alguns parentes deles foram para a amazona um chamava José pequeno.

      Excluir
    2. Sou da família Galvão meu pai é de Pernambuco águas belas ele é filho de Manoel correia Galvão,porem alguns parentes deles foram para a amazona um chamava José pequeno.

      Excluir
    3. Também sou do Amazonas, o Galvão herdei por parte de pai.

      Excluir
  5. Eu sou Galvão de PE meu sobrenome vem de meu pai ue veio do pai dele !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou procurando Galvão de PE. Minha bisavo era de la. Meu avo veio para o RJ tranferido. Então perdi um pouco das historias e busco familiares...Se quiser entrar em contato:ludelocco@gmail.com Obrigada

      Excluir
  6. Respostas
    1. eu sou galvão do maranhão meu avó era de fortaleza

      Excluir
    2. Sou Galvão de Fortaleza, mas minha mãe e meus avós paternos viveram mto tempo na serra, ali para os lados de Viçosa do Ceará, quiser falar cmg: galvao.hellen1999@gmail.com

      Excluir
  7. Respostas
    1. Eu tambem sou galvão e tenório carlos Eduardo N. T. Galvão

      Excluir
  8. sou galvao e minha bisavo conta que nossa familia sao de origens portuguesas, ela fala que a origem e de que um general (que era galvao) era o responsavel de trazer , escravos para o brasil, e assim resolveu morar aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. minha avo conta a mesma historia ela e de sc eu moro rs

      Excluir
  9. SOU UMA GALVÃO NASCIDA EM CRUZETA RIO GRANDE DO NORTE NETA DE THOMAS LOPES E BISNETA DE MANOEL CIPRIANO LOPES GALVAO E FILHA DE ESPEDITO GALVÃO TODOS JA FALECIDOS

    ResponderExcluir
  10. Sou de Brasília/DF, filho de pai pernambucano. O Galvão é sobrenome dele.

    ResponderExcluir
  11. Não levo Galvão no meu nome. mas me considero um Galvão também, pois a minha vó por parte de mãe era uma Torres Galvão, nascida em Santo Antonio de salto da Onça - RN, em agosto de 1914, viveu no RN até se casar e mudar para o RJ, Meu avô, que não me lembro o nome, foi a SP procurar emprego que nunca mais voltou. Deixou minha vó sozinha na cidade maravilhosa a cuidar da sua filha, minha mãe. Gostaria muito de conhecer a minha história e conhecer este ramo da família. De quem a minha vó foi filha, neta e quem eram seus irmãos. Ela contava que seu pai e avô eram proprietários de muita terra e que acobertou Lampião. Contava também que se avó enterrou um baú de dinheiro e esqueceu a onde tinha enterrado, ficando maluco por causa disso. Seu pai morreu assassinado devido a rixas familiares. dizia que era descentes de portugueses, índios e holandeses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixo meu email para correspondência. nhrd@hotmail.com

      Excluir
    2. Procure Rochael Galvão pelo Zap 84 987752359. Ele sabe muita coisa sobre os familiares em Santo Antônio do salto da Onça. Procure também Alberto Torres Galvão, de Goianinha RN. Ele é neto de Ioiô Galvão, dono do engenho Tarumã. Possivelmente seu parente direto.

      Excluir
  12. Sou Galvão por parte de Pai, meu Bisavô é Miguel Galvão e veio da Espanha.

    ResponderExcluir
  13. Minha familia por parte de mae e Galvao. Somos Baianos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite mônica , eu me chamo Andiara Galvão o meu sobrenome vem de meu avô que se chamava Raulino Costa Galvão .Gostaria de saber de que lugar da Bahia você e sua mãe são ,e qual o nome dela , estou te perguntando porque a minha família esta em busca de uma tia que esta desaparecida a muitos anos e ela se chama ou chamava de Leni Costa Galvão ,se caso for a sua mãe ou parente sua por favor entrar em contato comigo , pois a minha avó tem a maior vontade de vela ,não só a minha avó ,mas os sobrinhos que a conhecem também . Obrigada pela atenção.Há o meu face esta como Andiara Galvao .

      Excluir
    2. Mônica, Sou Leda Galvão filha de Antônio Luiz Galvão natural de Remanso BA. Meus avós Cezarino Luiz Galvão e Maria de Jesus Galvão. Se tivermos parentesco me escreva pelo email ledagalvao1@gmail.com moro em Goiânia -GO e terei imenso prazer se você for minha parente.Obrigada

      Excluir
    3. Mônica, Sou Leda Galvão filha de Antônio Luiz Galvão natural de Remanso BA. Meus avós Cezarino Luiz Galvão e Maria de Jesus Galvão. Se tivermos parentesco me escreva pelo email ledagalvao1@gmail.com moro em Goiânia -GO e terei imenso prazer se você for minha parente.Obrigada

      Excluir
  14. Maria Inês de Souza,meu pai João Galvão de Souza,de Brotas de macaúbas,Bahia...Obrigada.

    ResponderExcluir
  15. Sou Galvão nascido em natal rio grande do norte, filho de Marcos Aurélio da Costa Galvão

    ResponderExcluir
  16. Sou Galvão de Guaratinguetá, da família do São Frei Galvão. Vejam o link com mais informações: http://www.seminariofreigalvao.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=84:antonio-galvao-de-franca-o-pai-de-frei-galvao&catid=2:ultimas-noticias&Itemid=5

    ResponderExcluir
  17. Existe também um livro, edição esgotada, que pode ser encontrado em livrarias de antiguidades: http://www.estantevirtual.com.br/brunoberger/Carlos-Eugenio-Marcondes-de-Moura-Os-Galvao-de-Franca-no-Povoamento-de-Guaratingueta-156857881

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu e-mail para algum contato é: boscoguara@gmail.com

      Excluir
  18. Eu sou Galvão de SP, porém esse sobrenome eu herdei do meu avô Messias Galvão que por sua vez herdou de seu pai Antonio Galvani...sim GALVANI, porque existe uma vertente da família Galvão no Brasil que não é portuguesa, e sim de origem Italiana, norte da Italia mais precisamente. É uma confusão só heheh

    ResponderExcluir
  19. Meu pai nasceu no rio de janeiro , Juarez galvao erdou o nome do pai que tinha franca galvao

    ResponderExcluir
  20. Meu pai nasceu no rio de janeiro , Juarez galvao erdou o nome do pai que tinha franca galvao

    ResponderExcluir
  21. Meu pai nasceu no rio de janeiro , Juarez galvao erdou o nome do pai que tinha franca galvao

    ResponderExcluir
  22. Sou do rio de janeiro , porém minha família e do Rio Grande do Norte , quem quiser entrar em contato , dodokrt54@gmail.com

    ResponderExcluir
  23. Sou do rio de janeiro , porém minha família e do Rio Grande do Norte , quem quiser entrar em contato , dodokrt54@gmail.com

    ResponderExcluir
  24. Sou Galvao de Pernambuco. Meu pai é da Paraíba. rbsgalvao@gmail.com

    ResponderExcluir
  25. Andréa S. Galvão. Sou de Santos/SP. Meu pai veio da Bahia (Chapada Diamantina -Cidade de Mucugê) seus pais eram primos mas
    não do ramo Galvão. Meus ancestrais eram portugueses e índios segundo minha avó Arminda

    ResponderExcluir
  26. Sou Galvão da parte da minha mãe, e tenho no nome.. e adorava saber mais da origem deste nome

    ResponderExcluir
  27. Sou Galvão de Alagoas, filho de José Ramos Galvão e neto de Manoel Felipe Galvão.

    ResponderExcluir
  28. Sou Galvão de Alagoas, filho de José Ramos Galvão e neto de Manoel Felipe Galvão.

    ResponderExcluir
  29. Sou Galvão de Pernambuco, por parte de pai e minha bisavó era de Cintra em Portugal.

    ResponderExcluir
  30. Sou Galvão de Pernambuco, por parte de pai e minha bisavó era de Cintra em Portugal.

    ResponderExcluir
  31. Sou Galvão do RJ mas minha família Galvão veio do Maranhão, meu avô Maranhense ainda vivo e com mais de 80 anos se chama Trajano Galvão Neto, creio que ele seja neto legítimo do poeta Trajano Galvão de Carvalho citado na matéria acima, vou confirmar isso com a minha família, segundo histórias da minha mãe minha família veio de descendência portuguesa.

    ResponderExcluir
  32. Sou Jorge Galvão, Nascido em Santo Antônio de Jesus na Bahia. Soube, através de meu pai, que a origem da família Galvão aqui no Brasil, foi por conta de dois generais portugueses (eles eram irmãos) que vieram para o Brasil. Um foi para o Rio de Janeiro outro ficou aqui na Bahia, o nome de um deles era José ....Galvão, ( por sinal o mesmo nome de meu pai). Também ouvi comentários de que os Galvão são de origem Judaica. Não sei, entretanto, se estas fontes são corretas gostaria de saber a verdadeira origem!

    ResponderExcluir
  33. Sou Jorge Galvão, Nascido em Santo Antônio de Jesus na Bahia. Soube, através de meu pai, que a origem da família Galvão aqui no Brasil, foi por conta de dois generais portugueses (eles eram irmãos) que vieram para o Brasil. Um foi para o Rio de Janeiro outro ficou aqui na Bahia, o nome de um deles era José ....Galvão, ( por sinal o mesmo nome de meu pai). Também ouvi comentários de que os Galvão são de origem Judaica. Não sei, entretanto, se estas fontes são corretas gostaria de saber a verdadeira origem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Jorge,
      Espero que vc possa me orientar. Minha avo paterna era Egidia Rosa Galvao, nascida em 1904, no povoado do Bonfim; seu pai era vulgarmente chamado de Gringo, e um de seus irmao de Joao de Gringo. Ela se casou com o meu avo por volta de 1925 - meu avo era Joaquim Felix Barreto. Vc jah teria ouvido desse ramo dos Galvao? Queria fazer uma pesquisa de meus antecedentes mas nao sei bem por onde comecar. Alguem me falou que o cartorio mais provavel seria o de VArzedo.
      Ficaria grato por qualquer informacao que possa me ajudar.
      Abraco

      Excluir
  34. Araken Vaz Galvão.
    Há muito tempo ouço histórias sobre a origem da nossa família Vaz Galvão, contadas pela minha mãe, sua irmã. Ela costumava dizer que Vaz é originário de Pero Vaz de Caminha e Galvão vem de Gawain, na Inglaterra. Pesquisei sobre Pero Vaz e observei que nem ele nem seus irmãos deixaram descendentes. Quanto ao Gawain, segundo consta, seria um dos lendários cavaleiros da Távola Redonda, do também lendário rei Artur. Não dei muito crédito a estas histórias de família, mesmo sabendo que as lendas costumam se referir a personagens reais. Ela também dizia que tínhamos sangue mouro, o que seria bem plausível, tendo em vista que estes dominaram a península ibérica até o ano 700 da nossa era.
    Pois bem, recentemente minha filha que estuda em Londres fez o mapeamento genético do "23 and me", e traçou sua linhagem até o homem de Neandertal, o resultado me deixou boquiaberta, pois coincide em parte com as histórias da família. Apesar dela ter um fenótipo tipicamente latino, o DNA revela outra coisa: 80% de DNA europeu (português, espanhol, italiano, britânico e judeu alemão, também conhecido como judeu ashkenazi); 20% de DNA de outras etnias (norte da África, leia-se árabe/mouro; África subsaariana e oeste da África, leia-se negro, e finalmente índio brasileiro). Logo, o Galvão deve ter se originado de algum Gawain das ilhas britânicas que se mudou para Portugal e passou a se chamar Galvão. O Vaz deve se originar não de Pero Vaz, mas do alemão Weiss, que é sobrenome típico do judeu alemão.
    Da parte do meu pai ela herdou o sangue do africano e também do índio e do português.
    Pelo lado do pai dela tem origem portuguesa e indígena.
    Foi traçada a linhagem materna através do DNA mitocondrial, e todas as mulheres da nossa família, ela, eu, minha mãe, minha avó Altamira, a mãe dela e assim sucessivamente, descendemos de nativo siberiano, numa linha direta que remonta a milhares de anos.
    Em algum momento recuado no tempo um nosso ancestral homo sapiens cruzou com o homem de Neandertal, e isto está registrado na genética.
    O DNA não mente.
    Achei muito interessante e resolvi lhe escrever narrando tais fatos.
    Um grande abraço,
    Ilona Márcia Reis

    ResponderExcluir
  35. Olá Também tenho o sobrenome Galvão (Lucimara Eing Galvão) Moro no interior de Porto Velho-Ro,
    Eo meu pai que se chama Osvaldo Galvão está a procura de seus parentes ele morava em Manoel Ribas-Pr.
    se alguem poder me ajudar entre em contanto comigo pelo Whats-6992318635

    ResponderExcluir
  36. tbm sou Galvao de campos altos mg. :)

    ResponderExcluir
  37. tbm sou Galvao de campos altos mg. :)

    ResponderExcluir
  38. Triste saber que tivemos um Galvão como um terrorista durante o regime militar. Espero poder reparar como militar esse erro...

    ResponderExcluir
  39. Como todo sobrenome, Galvão possui plural: os Galvões, os Maias, os Rockfellers, os Braganças. Nunca digam "os Galvão", afinal de conta se o sobrenome é português ele tem obrigação de respeitar a Língua Portuguesa.

    (Poderia haver, neste caso específico, dúvida sobre qual a forma do plural: Galvões, Galvães ou Galvãos? Pela etimologia do nome, a primeira forma é a recomendada, já que o plural de gavião é gaviões.)

    ResponderExcluir
  40. também sou Galvão, meu pai Crizanto Ramos Galvão(In memorian) nasceu em Fortaleza, filho de Manoel de Barros Galvão e Francisca Ramos Galvão, sei que o nome do meu bisavô era André de Barros Galvão.

    ResponderExcluir
  41. Galvao do interior de SP. Tem até o livro da família! 😍

    ResponderExcluir
  42. Sou uma Galvão por parte de pai.
    Meu pai é Carlos Selle Galvão, filho de Manoel da Silva Galvão (falecido) e Elvira Paes Landim.
    Meu avô e filho do Sr Medrado Galvão (falecido) , eles são todos da Bahia, só não sei qual cidade.
    Meus avós vieram para o Pará em busca de algom melhor, então moramos aqui.
    (93) 992193879
    Alguém ai achar que sou parente e só entrar em contato.
    Prazer Raiane Rodrigues Galvão

    ResponderExcluir
  43. Mizael Avila Galvao sou pernambucano moro no RJ e meu sobre nome vem do meu pai que se chamava Mizael Galvao .

    ResponderExcluir
  44. Sou Galvão por parte de pai, que tem muitos parentes na região de Bebedouro. Meu nome é Clodoaldo Galvão Junior e meu pai Clodoaldo Galvão, filho de Olímpio Galvão e Philomena Gomes Galvão.
    ALguém se identifica?

    ResponderExcluir
  45. Sou Galvão de Santa Catarina procuro alguém com o nome de José luciano Galvao irmão de francisco galvao

    ResponderExcluir
  46. Sou Galvão de Santa Catarina procuro alguém com o nome de José luciano Galvao irmão de francisco galvao

    ResponderExcluir
  47. Sou Galvão de Belém do Pará. O sobrenome t na minha avó. Meu pai cobta que ela veio de Portugal. Meu avô tem sobrenome Oliveira, ambos vieram de Portugal... Ainda não pesquisei a fundo nos documentos guardados para saber de onde eles vieram de fato.

    ResponderExcluir
  48. Sou Abel Santos Galvão Natural do Rio Grande do Norte, meu Pai Antonio Lopes Galvao, Meu Avô Aniceto Filgueira Galvao, meu whatsapp: (85) 98220-6480

    ResponderExcluir